Site do grupo teatral Ganymedes:

Últimas

Experimente “As Muitas Últimas Coisas”

O grupo Ganymedes volta à cena com mais uma apresentação de As Muitas Últimas Coisas. Vamos nos apresentar na 1ª Mostra de Teatro Alagoano.

(Arte: Weber Salles Bagetti/Núcleo Zero)

Desta vez, 35, Mocinha e Paulo transitarão pelo hall do Teatro de arena Linda Mascarenhas.

Apareça. Visite-os. Experimente As Muitas Últimas Coisas.

“AS MUITAS ÚLTIMAS COISAS”
LOCAL: Teatro de arena Linda Mascarenhas – IZP
DATA: 22 de novembro de 2012 HORÁRIO: 19h30min

Observação: os convites serão liberados ao público uma hora antes de cada espetáculo.

Recebendo visitas

O último dia 07 (Sábado de Aleluia), no SESC Centro, foi dia de visitação.

Era a abertura do Palco Giratório 2012. Nesse dia, as personagens que carregam consigo As Muitas Últimas Coisas tiveram, por alguns instantes, a oportunidade de dividir com outros as suas solidões, as suas agonias.

35 (Igor de Araújo)

Mocinha (Nilton Resende)

Paulo (Igor Vasconcelos)

Mocinha e Visitantes

 Em  breve, em algum lugar, haverá outro dia de visitação,  e eles poderão, de novo, ter quem empreste sua atenção, quem possa ouvi-los, dando-lhes pelo menos a ilusão de que não estão sós.

“As muitas últimas coisas” no Palco Giratório

Dia 07 de abril (sábado), às 19h00, apresentaremos As muitas últimas coisas no SESC Centro.

A apresentação fará parte da programação do Palco Giratório 2012, cujas atividades podem ser conferidas aqui:

No período de 07 a 18 de abril o SESC Alagoas realiza a primeira etapa do Projeto Palco Giratório. Idealizado pelo Departamento Nacional, o projeto há 15 anos promove a circulação de espetáculos e ações formativas de norte a sul do país, pela rede de Teatros do SESC, a maior da América Latina.

Alagoas sempre participa do projeto, recebendo no mínimo quatro etapas a cada ano. Para 2012 foram programadas cinco etapas. A primeira inicia dia 07 de abril, com o espetáculo teatral As Muitas Últimas Coisas com a Cia Ganymedes de Alagoas. A apresentação acontecerá no Teatro SESC Jofre Soares, às 19h, com entrada franca.
Já no período de 08 a 18 de abril acontece uma série de atividades na capital e no interior do Estado com a trupe Pequena Companhia de Teatro do Maranhão, com apresentações do espetáculo Pai e Filho e oficinas de artes cênicas, com o diretor Marcelo Flecha. Respectivamente nas cidades de Maceió, Teotônio Vilela, Palmeira dos Índios e Arapiraca.
As oficinas são gratuitas com vagas limitadas, os interessados poderão se inscrever nas Unidades SESC do interior. Para mais detalhes podem entrar em contato com a Coordenação Artístico-Cultural (CARC) do SESC Alagoas, através dos telefones: 3326-3133 / 3326-3700.

PROGRAMAÇÃO 1ª ETAPA

Sábado, 07 de abrilEspetáculo
As Muitas Últimas Coisas.Cia. Ganymedes/AL.
Classificação: 14 anos.Local: Teatro Jofre Soares, unidade SESC Centro
Horário: às 19h
Direção: Fátima Farias Elenco: Igor de Araújo, Igor Vasconcelos e Nilton Resende.
Direção Musical: Marcelo Marques
Assessoria: Psicóloga Micheline Falcão

Três personagens vivem confinadas, distantes do mundo exterior. Em cena, o espaço da ação não se define. Estariam eles numa espécie de sanatório ou apenas detentos de suas próprias mentes? Ora loucos, ora apenas solitários. Nesse espaço, distantes do mundo exterior, elas têm apenas umas às outras; têm apenas suas dores, fomes, perdas. Isoladas, e com as forças que lhes restam, elas se agarram febrilmente ao que têm, mesmo que tudo o que lhes tenha sobrado seja apenas fruto de sua imaginação. Apesar de constantes discussões em relação à loucura no decorrer da construção do espetáculo, o mesmo não se posiciona como uma obra didática a respeito do assunto. O que se leva ao palco é apenas o ser humano.

Domingo, 08 de abril
Espetáculo Pai e FilhoPequena Companhia de Teatro/MA
Classificação: 14 anos.Local: Teatro Jofre Soares, unidade SESC Centro
Horário: às 19hEncenação e Dramaturgia: Marcelo Flecha.
Elenco: Cláudio Marconcine e Jorge Choairy.

A partir da obra Carta ao Pai de Franz Kafka, o espetáculo Pai & Filho utiliza uma linguagem crua e visceral para discutir as relações de poder, originado na estrutura familiar e disseminado na constituição sócio-cultural contemporânea. Na peça, um homem aprisionado e oprimido pelo poder do pai, procura enfrentá-lo, mas seu discurso não consegue quebrar a hierarquia familiar, impedindo que um diálogo aberto se estabeleça. A encenação disponibiliza um espaço para a discussão sobre o conflito de gerações e a relação de dependência utilizada no seio familiar como instrumento de poder.

APRESENTAÇÕES NO INTERIOR

Espetáculo Pai e Filho com Pequena Companhia de Teatro/MA
12 de abril – 19h, SESC Ler Teotônio Vilela – Teotônio Vilela
15 de abril – 19h, SESC Ler Palmeira dos Índios – Palmeira dos Índios
17 de abril – 19h, SESC Arapiraca – Arapiraca

OFICINAS

Oficina Do épico ao dramático: a transposição de gêneros como instrumento de confecção de dramaturgia, com Marcelo Flecha/MA
Inscrições Gratuitas – 16 vagas
Destinada a professores, estudantes do ensino médio e escritores iniciantes.
11 de abril – 09h às 18h – SESC Ler Teotônio Vilela;

Oficina O Quadro de Antagônicos como instrumento de treinamento para o ator, com Marcelo Flecha/MA
Inscrições Gratuitas – 16 vagas
Destinada a atores e estudantes de teatro.
14 de abril – 09h às 18h, SESC Ler Palmeira dos Índios;18 de abril – 09h às 18h, SESC Arapiraca. Informações 3326-3133 / 3326-3700.´

(conteúdo presente no site do SESC/Alagoas).

Escombros

as quatro personagens, com suas muitas últimas coisas, nos escombros do instituto eu mundaú

 

Se as personagens de As muitas últimas coisas estão em escombros, nada mais coerente do que apresentarmo-nos em ambientes que estão nessa mesma condição.

ane oliva e igor vasconcelos

Este é um ensaio fotográfico realizado nas obras do Instituto Eu Mundaú. Ensaio preparatório para a próxima temporada de As muitas últimas coisas.

nilton resende, ane oliva, igor de araújo

Escombros:

O sol já tinha nascido. Em pouco tempo a tripulação subiu a bordo, de dois em dois ou de três em três; os armadores estavam atarefados; os imediatos trabalhavam ativamente; e muitos dos trabalhadores estavam ocupados trazendo a bordo as muitas últimas coisas. Durante esse tempo, o capitão Ahab permaneceu invisível no santuário de sua cabine. (“Moby Dick”, de Herman Melville).

 

 

Novo cartaz de As Muitas Últimas Coisas

O apoio da Núcleo Zero tem início com o novo material produzido para As Muitas Últimas Coisas. E temos aqui nosso novo cartaz, feito pelo artista plástico Weber Bagetti (Núcleo Zero).

Nele, não há mais a Cida/Lucy Oliveira, que por enquanto se afasta da companhia para dedicar-se a outras atividades.

As Muitas Últimas Coisas

Em 2010, numa parceria com o Instituto Eu Mundaú, a Ganymedes apresentou-se em uma antiga casa no bairro do ABC (Maceió/AL):